21.12.10

Ofereça livros pelo Natal

Mas cuidado, a reacção pode ser esta:





Depois de conhecer o contexto* deste polémico vídeo, com mais de 30000 visualizações, tem graça.


*After opening a whole bunch of toys, my son 3 year old came across a present with books....keep in mind that this was kinda like his first "real" Christmas....and again he's was only three years old!....let me repeat. ONLY THREE YEARS OLD... And that he could just about understand and get the concept of the whole gift getting thing. I guess much to the blame of me, the media, and every commercial out there on TV he was more under the perception that you only get "toys" for christmas. To him Books are the fun time we spend reading (no less than three) every night before he goes to bed. Let me make something clear again. HE REALLY DOES LOVE BOOKS! But I'm guessing he was "overwhelmed" after opening way too many gifts (my fault I went overboard that year) and I think he felt "tricked upon" when he opened the books.....plus the fact that we were laughing at his reaction kinda egged him on to say the Poo statement..... He really is one of the sweetest kids I know and to see this reaction (if you know him yourself) IS cute.
I have deleted a lot of very undeserved negative comments that have been posted....I understand now that without a good understanding of the back history one could make a poor assumption of him....but now i hope you know that he was ONLY THREE YEARS OLD PEOPLE and that he only thought your supposed to get toys for christmas....partly because of how commercialized this holiday has become.....we have since taught him differently..............but just for kicks were gonna wrap books again for him and see what happens....

19.12.10

Cover lover #2


Daqui (do lóbulo da orelha).

De cordel

Ah! ah! ah!

Cover lover #1



Uma publicação destes senhores, encontrada aqui (e a fazer lembrar esta).

8.12.10

&etc

A revolução está mesmo aí. A emitir directamente do subterrâneo, a &etc virtualizou-se. Ora sejam bem-vindos.

5.12.10

Primeiras deleituras

A propósito de um artigo lido algures num blogue, dei por mim a recordar as minhas primeiras leituras. As primeiras foram-me feitas, claro, e delas não tenho muito mais além de vagas memórias. No percurso de autocarro até ao centro da cidade, a minha mãe entretinha-me com livros, quase sempre os mesmos. Desses, recordo os do Plum, quadrados, com páginas de cartão, de cuja colecção tinha três ou quatro títulos Os desenhos não me cansavam e o urso amarelo das histórias condizia com um boneco de peluche que tinha. (Será por isso que a minha cor preferida, no abstracto, é o amarelo?) Entre estes livros – para leitores de 2/3 anos – e os da Anita e afins – que, por essa altura, já lia sozinha –, houve dois que recordo com especial intensidade e ternura.
Um é O meu amigo elefante: viagem à Índia, repleto de aguarelas saídas de um sonho, que conta a história de um rapazinho que se despede dos pais para participar no festival anual de elefantes, em Jaipur. O exotismo da aventura e a singeleza da história são encantadores.
Outro é Tuqui Aviador, em que Tuqui, a personagem principal, compra um avião no ferro-velho e o restaura, pintando-o de amarelo (!). Tuqui é um cão, os melhores amigos um coelho e uma gata. O sucateiro é um rato e pelo meio da história há um agricultor surpreendido e uma dona de casa zangada por lhe terem levado o estendal. O cenário é totalmente campagne, o texto é em rima e fala-se em fuselagem. Foi a esta palavra que me agarrei, segundo me contam. «Ó mãe, o que é fuselagem?» E quem diz fuselagem diz outras coisas, como croissant. Terá sido por volta desta idade que comecei a descobrir o inesgotável interesse das palavras (e o apetite que algumas geram).
Em baixo fica uma amostra:


Curiosidade: http://www.leitura.gulbenkian.pt/index.php?area=rol&task=view&id=16840

Novos capítulos

Não, o blogue não morreu, esteve só adormecido durante um período de intensas mudanças. A ver se agora retomamos o ritmo (e se, porventura, actualizamos a lista de leituras).